Em 2020, JA Solar registra volume recorde de módulos embarcados, o qual atingiu a marca de 15,88 GW

A companhia reportou um aumento de 54,8% contra os 10,26 GW obtidos no ano anterior

Em comparação com os 10,26 GW obtidos em 2019, a JA Solar registrou um aumento de 54,8% no volume de módulos embarcados, que atingiu a marca de 15,88 GW, conquistando novos recordes de incremento e volume anual. A empresa explicou que a quantidade abarca, aproximadamente, 500 MW distribuídos para o mercado interno chinês, apesar de não ser uma das principais áreas de atuação da companhia.

A fabricante apontou que, do total de embarques (10,84 GW), 68,3% foram exportações. A empresa relatou, no fim de 2020, que contava com uma capacidade de geração de módulos de 23 GW.

O total das receitas da JA Solar foi de cerca de US$ 3,93 bilhões no ano, ultrapassando o montante de 2019 em 22,17%, o que também marcou um novo recorde da empresa. Com acréscimo de 20,34% diante do ano anterior, o lucro atribuído a acionistas foi de cerca de US$ 229 milhões.

Apesar do fato de que as receitas do quarto trimestre de 2020 estabeleceram um recorde de US$ 1,39 bilhão, o lucro líquido passou por uma queda em comparação com os US$ 89,88 milhões reportados no terceiro trimestre, somando apenas US$ 32,75 milhões. Até o lucro líquido do primeiro trimestre de 2020 teve uma melhor performance, com US$ 43,49 milhões, mesmo com a pandemia.

O aumento de preços de matérias-primas de módulos, como o vidro e o silício policristalino, está entre as possíveis causas dessa retração. Além disso, a JA Solar citou que, simbolizando 17,87% do volume total de vendas de 2020, as vendas para os cinco maiores clientes do ano totalizaram US$ 701 milhões.

Há pouco tempo, a companhia divulgou a preparação de um novo complexo industrial, localizado na Zona de Desenvolvimento Econômico de Qidong, na China. A JA Solar fechou um contrato com o governo local para o desenvolvimento de um projeto com capacidade de 20 GW em células solares e 20 GW em módulos fotovoltaicos. A elaboração da unidade fabril deverá levar quatro anos e custará um valor aproximado de US$ 1,56 bilhão.